segunda-feira, 23 de abril de 2012

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Vinte e Dois

video





I adore you...






terça-feira, 15 de novembro de 2011

Afeto





Sobramos aqui, eu e a insônia.
Tá frio e vazio do meu lado.
Saudade pra fazer companhia.
Carente do seu abraço. Dos seus cuidados. 
Uma camisa branca com o seu cheiro..como se ele já não estivesse espalhado por toda parte.
Pensamentos voam pra longe em busca de sonhos pra vive-los contigo.
Deixa-me guiar o destino?
E essa sensação de completude, de transbordamento, de plenitude..
Desejo insaciável de provar disso cada vez mais.
Felicidade vicia. Você vicia.
Jeito manso, toque suave, beijo doce.
Vou te levar pra ver o mundo de uma outra óptica.
Vou te mostrar novas nuances.
Novos parâmetros, novas perspectivas, novo estado de enamoramento pela vida.
Essa paixão bonita e leve.
Esse amor sentido, compartilhado, vivido.
Me move a todo tempo.
Me dôo.
O meu dia começa mais bonito quando você faz parte da minha noite.
Ao som da sua voz, descanso.
Te cuido. Te protejo. Te amo.






quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Lindo



Outra vez, pelo mesmo motivo,  sou pega de surpresa. Entra por aquela porta e me faz radiante. Deixe as coisas pelo chão e me namore. Enfeita os meus dias com os seus pedidos fofos que eu me divirto em atender. Sussurra um heavy metal no meu ouvido. Dedilha suavemente os acordes, semibreves, na minha pele. Dança comigo essa noite? Divide o compasso? Sorria? Grite sem palavras os seus sentimentos demonstrados naquele seu jeito doce e demorado de me beijar.  Pra que palavras se nos entendemos tão bem no silêncio? No olhar, no tocar... Se roubam a lua da minha janela, vou procura-lá em outro lugar. Me vejo nesses olhos castanhos - tom dos meus. Mergulho na nossa história que tem lua até de dia e nunca eclipses. Lá não há nada que escureça. Me chama pra deitar ao seu lado - o melhor lugar que há. Deixa-me te mostrar como é ser bem cuidado. Trago seu capuccino - com ou sem chantilly - assim que acordar, quando quiser. Decora alguma coisa no meu quarto, domina o espaço com a sua bagunça ou seja lá o que for. Deixe tudo espalhado e os meus pensamentos soltos para irem ao seu encontro onde quer que você esteja. Se infiltra nos meus sonhos e me leva pra longe daqui - a beira de um mar calmo, onde exista um céu claro e o calor do seu abraço. Quero dormir no seu ombro, me perder em todo encanto da atmosfera que se cria quando estamos juntos. Identifico as suas carências pelo seu jeito d olhar e te ofereço colo. Derramo doses de mimos e um mix de afeto pra te embriagar. Deixo o meu coração em tuas mãos, batendo no peito só resta a saudade e o desejo que te rever entrar por aquela porta outra vez.










quarta-feira, 27 de julho de 2011

Colírio

Ando carente de mim
Da minha força, da minha companhia, da minha fé..
Da minha sutileza, alegria, serenidade..
Ah serenidade..que se ausentou de mim nem sei exatamente quando e já me perdi nos porquês..

Tô com saudade de me sentir livre para ser como eu quiser novamente
Saudade de poder ser honesta o tempo todo
Ao invés de ficar remediando e contornando as circunstâncias

Sinto falta da liberdade de me apaixonar pelo quê, quando, e como eu quiser
Com ou sem exagero..
Com ou sem reservas..
Com ou sem atitudes.
Carência do meu jeito de ser
Carência da minha espontaneidade.

Me perder de mim pode ser recuperável
Não sei até que ponto, qual a profundidade
Não sei se reencontaria toda minha personalidade
Me perder do resto é o medo..um medo tão sentido que às vezes é palpável

Injustiças calaram o meu vocabulário
Os meus gritos estão presos.. sem chance de defesa
Então quem me defenderia?
Quem me justificaria?
Quem limparia minha imagem borrada por essa cegueira insana e egoísta?

Aquele amor puro... talvez já contaminado
Talvez já  debilitado pelos ventos contrários
Aquele amor novo e desejável
Agora injustiçado

Ando a procura de mim outra vez
Procuro silenciosamente, pois não há mais companhia
Não há quem ouça minha voz
Não há quem antes havia..não há quem eu queria

Míopia ofuscou outros olhares
Os meus sonhos diminuem timidamente entre tantos nãos
Pisar em ovos..
Ser conveniente
Seguir o protocolo
E mesmo assim não ser suficiente...dói

Me perder de mim é um recesso
Podendo haver retrocesso
Sequelas pernanentes, talvez

Perspectivas embaçadas
Amor encolhido..escondido em tudo isso
Reservas de sentimentos bonitos e sadios
Sentimentos que, asfixiados, vão perdendo a autenticidade

Transformaram em nó o nosso laço
Me procuro por toda parte pra mostrar a você de novo
Usa um colírio de reciprocidade pra recuperar a nitidez
Se me perder de vista, sabe lá quando vai me enxergar outra vez